28 de dez de 2009

Faço!

Amar por inteiro,
viver sem receios,
sem meias verdades
superar a realidade.




Ocupar todos os espaços
e assumir todas as formas
aproveitar todas as horas
e não medir todos os atos.
Essa é a plenitude do meu mundo,
vivo, não penso, faço!

14 de nov de 2009

Não existo...





Sem você não existo,
juro,
tento,
mas não resisto.
Corro,
caio,
escorrego,
levanto,
me ralo,
me firo,
me jogo,
me corto,
sigo
torto e tonto,
mas não desisto.
Me atiro desse abismo,
salto sem medo
de olhos fechados
as mãos e os pés amarrados
e ainda assim,
flutuo no ar
antes de chegar ao fim,
pois sou assim,
inocente, sem medo de errar.
Sem você não existo,
por isso sou assim:
me entrego, me dou por inteiro
não penso,
só sinto
tudo de mais.
Exagero, não me contenho
dou risada da morte,
não lamento nenhuma sorte
sinto tudo assim,
sem meios termos
tudo por inteiro
tudo por completo
meu tempo é sempre imediato
é assim que sempre ajo
vivo o momento
um dia de cada vez
e tudo ao mesmo tempo
me agarro ao firmamento
e sinto tudo
e tudo o que sinto
é o meu amor
por você.

Passarinho

Passarinho,
pousou na janela
no começo do dia
e cantou para mim
uma música

triste e bonita
me lembrou de você
por não ter fim.

Passarinho,
pousou na janela
no fim do dia
e contou para assim
do meu amor
que mora tão longe
e passa os dias
pensando em mim.

Passarinho,
tu és meu amigo
voe agora
a outra janela
na casa dela
e cante assim
pro meu amor
que vive em mim

Passarinho,
tu és meu amigo
não corra perigo,
mas conte por mim
a meu amor
que mora tão longe
toda saudade
que sinto assim.

9 de nov de 2009

Sem você...

Te amo
Porque que te amar
é continuar vivo,
porque sem você
eu não existo.
Te amo,
pois sem você
não há mais nada

Sem você...
tenho água,
mas não tenho sede
tenho comida,
mas não tenho fome

tenho ar,
mas não respiro
tenho chão,
mas não me levanto

tenho luz,
mas não vejo
tenho música,
mas não escuto

tenho dor,
mas não sinto
tenho vida,
mas não existo

tenho medo,
mas não me movo
tenho lagrimas,
mas não o choro

tenho estrelas,
mas não o céu
tenho o sol,
mas não seu calor

tenho o caminho,
mas não a estrada
Tenho tudo,
mas tudo não vale nada

tenho o coração,
mas ele não bate
tenho o amor,
mas ele não sente

sem você sou assim:
esse não ser.
Sem você nada sobra de mim
Sem você...

27 de out de 2009

Você

Você,
faz parte de mim,
me parto assim
e me dou por inteiro

Você é assim:
um sonho bom,
um sonho de amor
no meu coração
e uma canção...

É o amor
pelo qual o sol nasce
e no céu
a lua brilha,
é a vida
que vale ser vivida.

É um dia de sol,
uma tarde na praia,
a brisa bem vinda,
o olhar às estrelas,
uma onda do mar.

Andar de mãos dadas
e se beijar com carinho,
é uma carta de amor,
uma flor sem espinhos.

É meu presente
que caiu do céu,
meu tesouro
e meu amor.

E.T.A.

Nesses versos tão pequenos
sem muita métrica,
rítimo ou rima
escrevo que te amo,
te adoro minha menina.

24 de out de 2009

Caminhos...

Estou sempre na multidão
sozinho em meio a muitos
e muitos são meus caminhos
e pouco é tão pouco.

Estou no meio da rua;
estou sob a lua;
estou na beira da praia;
estou suspenso no ar;
estou no fundo do mar.

Não volto seguindo
meus próprios rastros;
do penhasco me jogo
despenco e me arrasto
me corto, me firo, me rasgo
e mesmo assim
não saio do lugar.

Estou sem saber estar
que caminho é esse
que não me deixam seguir
nem olho para o céu
onde devia estar
o brilho do velho astro,
farol pra iluminar,
o caminho que não sigo
nem sei chegar...

21 de out de 2009

Alegria.... palavra estranha

Alegria.... palavra estranha
me lembra outros tempos
em lugares bem distantes
pessoas que eram outras
e eu também era, acho.

Um dia de praia,
amigos, cervejas
familia, churrasco...
meu amor.
Ali sim, naqueles dias,
havia, e muita,
alegria.

Que pena,
pra mim pelo menos,
já passou,
quem sabe outro dia
outra vida...

Palavra?

Palavras e mais palavras
todas estranhas,
que me dizem tão pouco,
que significam?

Apenas uma me contempla
me satisfaz,
me torna mais inteiro.

Palavra, pequena
de escrita tão curta,
que mostra caminhos,
vidas, dias e lutas

palavra indefinível
e me defino por ela
Não devia,
não sei.

Palavra que soma,
me soma,
me divide,
me agride.
"Amor"

Não é apenas palavra,
eu sei.
Sei também,
bem pouco verdade
o que ela diz, bem fundo
no fundo de mim
e no fundo do mundo.

Imcompleta, ainda lhe falta algo.
A palavra é verbo
lhe falta o pronome
e a conjugação.
O seu certo ficaria:
"Te amo"

Assim é o certo,
que me faz mais certo.
mas será?
Falta ainda algo...
falta à palavra,
e mais ainda
falta em mim.

Perdão, me enganei.
Não falta mais,
encontrei
nessa oração:
"te amo"
faltava alguem
faltava o "Te"
Não falta mais,
já sei que é.

Você.
"Te amo"

Os dias e as noites

Os dias e as noites
passam assim
tão devagar.

Não tenho você
perto de mim!
estando assim,
nem sei o que ser.

Sei que cada manhã
me traz a saudade
tão grande que doi
essa distância
que me corroi.

Essa distância,
minha inimiga,
tanto me faz sofrer
e há apenas uma cura:
você!

eu?

Se sou assim,
bobo demais
ingenuo,
inseguro,
tantos coisas mais.

meu normal é ser diferente,
daquilo que vejo,
até mesmo do que sinto
coisas assim
que me fazem,
me dizem
trazem sempre novidades.
boas ou não.

Sou assim mesmo,
diferente, diferenciado
até mais e demais.
Procuro sempre
desigualar os iguais

Sou sombra, vento e nuvem
coisas passageiras
e também permanentes
assim uma soma de vidas,
cortadas, multiplicadas e divididas
sou assim
o que mais poderia ser?

Jardim sem ávore,
ou livros sem estante
instantaneo e demorado
a coragem e o medo.
Sou assim
amo de mais, também.
Mais do que posso,
do que sei,
tanto, nem sei
ao certo. Sou errado!

Tudo isso, e mais e mais
torto e direito
revolucionário,
reacionário(não!)

As posias que leio,
que escrevo,
esse versos sem rima
que dizem tanto e pouco
assim mesmo,
difícil de enteder
sou assim.
O que mais poderia ser?

18 de out de 2009

Descanço,

Descanço,
deitado no fim de tarde
remoendo as lembranças
de dias melhores.

De tudo aquilo que devia ter sido
e de tudo que foi em vão,
juras e juramentos
sonhos e bons momentos.

Agora só restam as lembranças
daqueles dias não são mais,
que passaram a tanto tempo,
tão irreais.
E só me resta agora,
esse triste desencanto.

E agora,
descanço
deitado no fim de tarde
remoendo as lembranças
de dias melhores...

30 de set de 2009

Rei das morte

Rei das morte
seco e pálido
sentado em seu trono.

O trono do Rei da Morte
tão antigo, não feito de madeira,
pois o Rei que reina na Morte
repousa sobre incontáveis caveiras.

Rei da morte
seco e pálido
sentado em seu salão.

O salão do Rei da Morte
com negro mármore e sangue decorado
pois o Rei que reina na Morte
ali recebe seus convidados.

Rei das Morte
seco e pálido
sentado em seu palácio.

O palácio do Rei das Mortes
contas quartos mais de mil,
Pois o Rei que reina na Morte
ali recebe quem foi vil.

Rei das Mortes
seco e pálido
sentado em seu reino.

O reino do Rei das Mortes
abrange tudo que a noite toca,
pois o Rei que reina na Morte
a todos um dia convoca.

Desde Além.

Aquele cheiro ocre,
aquele som azedo,
aquelas sombras fétidas.

Tudo era podre,
até a luz da lua
rescendia a morte

Os crânios postos sobre pedras
sorrindo seus sorrisos tortos
pregada à árvore morta
a mão do homem morto.

No chão negro apenas os vermes vivem,
rastejando, comendo a podre carne
do homem, da mulher, do menino,
frios, cinzas e cegos.

Da orbita vazia da velha mulher,
onde dantes olhos azuis jaziam,
agora, buraco negro e virulento
que viu por último para sua sorte
a face negra, velha e triste
do encotro com a senhora morte.

23 de set de 2009

Quando estou triste

Quando estou triste
só quero alguém
que me abrace

que me diga assim
que veio pra mim
e não se afaste
quando estou feliz
só quero alguém
que me queira

que me diga assim
que veio aqui
pra vida inteira

6 de ago de 2009

é fraternal seu sorriso,

É fraternal seu sorriso,
seu abraço e seu calor,
o brilho de seus olhos,
seu encanto e seu amor.

E fraterno também é
tudo que lhe dedico
meus dias e meus sonhos
minha vida à seu amor.

23 de jul de 2009

A festa saiu na mídia

A festa saiu na mídia
que contou uma história
pra gravar na memória
os fatos daquele dia.

A guerra saiu na mídia
que mostrou as fotos
com o mal daqueles fatos
tudo aquilo que não devia.

O homem saiu na mídia
por que saiu com a mulher
e não pode esconder
o errado que fazia.

A flor não saiu na mídia
afinal quem quer ver
o jardim a florescer
em maio a anarquia!

22 de jul de 2009

Juventude Revolução!

A Juventude é a Revolução,
a revolta com os males do mundo
o desejo de tudo mudar,
é a encarnação dos sonhos,
dos desejos e dos anseios,
de todas as lutas.

A Juventude é a Revolução,
é a Rebelião e a Renovação.
É a Vontade
que não cessa jamais.
É buscar conquistar
sempre um pouco mais.

A Juventude é a Revolução
é a luta diária,
é a luta constante.
Ah Juventude!
Nunca hesitante!
Que nuca desiste!
Que sempre resiste!

A Juventude é a Revolução
é um novo mundo que vai chegar
construído por nossas mãos.
E a juventude, nunca está só.
É nossa força, é nossa voz!
A Juventude somos todos nós!
Somos a Juventude Revolução!

20 de jul de 2009

Amigos, tantos são

Amigos, tantos são.
Que vem, passam,
ficam e se vão.
E todos sempre deixam
comigo um pouco de si
assim como também levam
consigo um pouco de mim.

E se hoje sou o que sou,
o sou pelo que nós somos.
E tudo que compartilhamos
idéias, ideais, sonhos e planos
sorrisos e lagrimas, idas e vindas,
aqueles momentos que são
os melhores de toda vida.

28 de fev de 2009

Boêmio...

Boêmio,
passava as noites nos bares
tinha amigos, tinha cervejas, tinha mulheres,
tinha de tudo em todos os lugares
e como ele haviam milhares.
Boêmio, um dia encontrou
alguém que era diferente
esqueceu os amigos
esqueceu as cervejas
esqueceu as mulheres
Boêmio, pobre coitado,
agora estava amando,
mas havia um problema,
ele não era amado.
Boêmio,
resolveu seu problema
Passava as noites nos bares
tinha amigos, tinha cervejas, tinha mulheres
tinha de tudo em todos os lugares
e como ele haviam milhares.

Partir...

Morrer, perder, ganhar.
Viver, querer, achar.
Pergunto, o que será?
Pergunto, o que virá?
Em uma soma mal dividida
me deixam a dúvida da partida
e a lembrança do que ficará.
Serei capaz?
Sinto a dúvida de sentir
e o medo de partir.
Pergunto, o que será?
Pergunto, o que virá?
Só sei que sinto medo
que está sem dever estar
e me leva a meu outro lugar.
Sinto medo da partida.

Liberdade...

Os pássaros são como as idéias,
devem ser livres e poder voar
já que quando presos não valem a pena
não voam nem devem cantar
e quando os pássaros vão
lembram que tudo passará.


ou


No alto da árvore tem um pássaro
das penas bonitas e lindo cantar
não é grande num muito raro,
mas pode sozinho o mundo alegrar.

Desejo...

Tudo começa com um beijo
e mil beijo se seguem,
sobem, decem,
percorrem todos os pontos
os labios se tocam,
todos eles,
em todos os lugares
em rítimos que se alternam.
Os corpos que se tocam,
as pernas que se somam
e se misturam, mãos e braços
todos os membros,
se mudam os olhares,
os corpos se fundem
em posições milhares
até que se perde o sentido;
do eu nascem milagres
e já não mais existo
somado e dividido
nas mais diversas partes.

Tudo de novo...

Ver mais um novo dia raiar
sempre pela primeira vez,
Escutar aquela música inédita
que já foi ouvida tantas vezes,

Dar um abraço bem apertado
em quem sempre te amou
e mais um beijo bem molhado
em alguem que te esperou.

Renascer a todo momento
com a luz de cada novo dia
e das novas-velhas pessoas
reaprender tantas mil manias.
Renascer por toda a vida.

Demais...

Já tive a ganância de querer demais
tudo aquilo que não devia ter
e agora já não encontro mais
nem me resta nada a fazer

A ganância um dia me disse
que fosse embora e deixasse pra traz
tudo aquilo que não devia esquecer
agora que tanto tempo faz
finalmente pude perceber
que não devia jamais
ter deixado você.

17 de fev de 2009

Lembranças...

Naquela estância de uma vida passada,
onde passei a infância tão apressada,
corria, brincava e era criançae
hoje só me restam as lembranças
daqueles dias que não voltam mais

tinha um curral, um jardim e um pomar,
tinha meu pai, minha mãe e minha avó,
tudo aquilo que não está mais lá
e hoje quando lembro me vejo só,
longe daqueles dias que não voltam mais.