14 de nov de 2009

Não existo...





Sem você não existo,
juro,
tento,
mas não resisto.
Corro,
caio,
escorrego,
levanto,
me ralo,
me firo,
me jogo,
me corto,
sigo
torto e tonto,
mas não desisto.
Me atiro desse abismo,
salto sem medo
de olhos fechados
as mãos e os pés amarrados
e ainda assim,
flutuo no ar
antes de chegar ao fim,
pois sou assim,
inocente, sem medo de errar.
Sem você não existo,
por isso sou assim:
me entrego, me dou por inteiro
não penso,
só sinto
tudo de mais.
Exagero, não me contenho
dou risada da morte,
não lamento nenhuma sorte
sinto tudo assim,
sem meios termos
tudo por inteiro
tudo por completo
meu tempo é sempre imediato
é assim que sempre ajo
vivo o momento
um dia de cada vez
e tudo ao mesmo tempo
me agarro ao firmamento
e sinto tudo
e tudo o que sinto
é o meu amor
por você.

Passarinho

Passarinho,
pousou na janela
no começo do dia
e cantou para mim
uma música

triste e bonita
me lembrou de você
por não ter fim.

Passarinho,
pousou na janela
no fim do dia
e contou para assim
do meu amor
que mora tão longe
e passa os dias
pensando em mim.

Passarinho,
tu és meu amigo
voe agora
a outra janela
na casa dela
e cante assim
pro meu amor
que vive em mim

Passarinho,
tu és meu amigo
não corra perigo,
mas conte por mim
a meu amor
que mora tão longe
toda saudade
que sinto assim.

9 de nov de 2009

Sem você...

Te amo
Porque que te amar
é continuar vivo,
porque sem você
eu não existo.
Te amo,
pois sem você
não há mais nada

Sem você...
tenho água,
mas não tenho sede
tenho comida,
mas não tenho fome

tenho ar,
mas não respiro
tenho chão,
mas não me levanto

tenho luz,
mas não vejo
tenho música,
mas não escuto

tenho dor,
mas não sinto
tenho vida,
mas não existo

tenho medo,
mas não me movo
tenho lagrimas,
mas não o choro

tenho estrelas,
mas não o céu
tenho o sol,
mas não seu calor

tenho o caminho,
mas não a estrada
Tenho tudo,
mas tudo não vale nada

tenho o coração,
mas ele não bate
tenho o amor,
mas ele não sente

sem você sou assim:
esse não ser.
Sem você nada sobra de mim
Sem você...